segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Repouso, entre cinzas e incertezas
Um Ser cansado... de ser e de existir!
Preso no infinito de cada coisa, sem divisão
Complexa meiose de almas,
Um vai-vem frenético e inconsciente
Tão sem fim
Entregue ao delicioso legado do constante caminhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário