terça-feira, 29 de novembro de 2011

Aprendi a importancia de estar sempre atento. As maiores riquezas residem exatamente nos pequenos detalhes.
A felicidade torna-se genuína e gratuita quando estou rodeado de um punhado de gente boa e positiva.
Meu despertador, particularmente hoje, me acordou para pequenas e doces sutilezas, para as cores e para o transbordar de luz desse dia lindo, que acaba de romper.
Extraindo felicidade de pequenos detalhes, nesse cotidiano tão rico de alegrias e cheio de surpresas boas para o coração.
Carrego comigo uma imensa gratidão...
O Universo tem me dado a força necessária para prosseguir e sensibilidade, para que eu possa, mesmo durante todos os revezes, enxergar amor, beleza e poesia em tudo a minha volta, nessa corda bamba-vida que me fascina e, mesmo que por vezes árdua, não perde a magia que mora no exercício de existir.
Mesmo durante as piores tormentas, minha lei tem sido manter-me sempre de pé
Cuidei de cravar minhas raízes no mais profundo da minha alma.
Belas são cores que a sua presença imprime na minha existência.
Decidi tatuar sua essência no meu coração para amenizar a sua ausência e fixar sua presença, definitivamente, no meu interior.
Vestindo de cores e leveza minha manhã, visto também minha armadura contra a saudades, que sei, mais tarde, há de me visitar.
É inútil qualquer tentativa de trilhar caminhos alheios
Meu coração teima em morar dentro de você.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Trouxe luminosidade aos meus dias, clareando diariamente todos os meus pensamentos.
Liberdade é ter a autonomia de escolher quais sentimentos devem me habitar.

É inútil qualquer tentativa de trilhar caminhos alheios Meu coração teima em morar dentro de você.

domingo, 20 de novembro de 2011


Creio em um mundo sem barreiras, sem fronteiras e divisões
Conheço a sutil força da Paz e acredito na centelha divina que habita cada ser vivente
Meu foco é a beleza, são as cores e a energia trocada através do afeto
Prefiro embelezar o mundo com o meu sorriso
Dar ao outro o que possuo de melhor
Abrir as portas para o Bem permanecer sempre
Apoio demonstrações gratuitas de amizade
Sou a favor do afeto sem interesse, do abraço que cura, do toque que acalma, do olhar que protege e da amizade que acalenta.
E , se tiver que desacreditar, que eu me torne, para sempre, descrente do medo, da falta de amparo, da inimizade, da inveja e do desamor.
Assim Seja!
(Porque o amor continua me dando bem mais do que prometido).






sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Nada mais é edificante do que olhar para o céu. Todos os dias.

Tenho feito da leveza o meu caminho diário.
A chuva tem levado minhas tristezas e as poças d'água refletem a eminência de um novo dia, repleto de luz.


quinta-feira, 17 de novembro de 2011


Eu quero braços, pernas e corpos entrelaçados
Unidos pelo afeto
O afago, o brilho nos olhos
Minha busca é pela sua boca doce, pelo vinho que inebria
Quero seu maior sorriso fazendo, brilhar o nosso melhor dia de sol.





As vezes, é preciso pegar o primeiro desvio e sair fora da rota, pegar novos atalhos, explorar novos caminhos em busca de encontrar, perdida em alguma curva, uma trilha recheada de felicidade.
A alegria também mora no vão das coisas efêmeras.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011


Mantenho sempre comigo, colado à face, o meu melhor sorriso escancarado.
Essa tem sido a minha Lei.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011






Se fosse apenas de passagem, eu pediria para ficar um pouco mais
Você chegou e me trouxe, em caixas coloridas, um sentimento que há muito tempo não experimentava: a felicidade
Cuidei de abrir uma a uma, para receber todo conteúdo e percebi que quanto mais felicidade eu recebia, mais eu podia dar.
Tirei da caixa uma tal felicidade e resolvi distribuir, a quem interessasse, sem distinção
Descobri então, que felicidade se multiplica, quando começo a somar.

sábado, 12 de novembro de 2011


Mesmo a chuva permanecendo a noite toda
Logo que amanheceu, cuidei de secar toda água
De quebra, espalhei luz pelos cantos
E me apressei em inventar um sol, só para iluminar o meu dia
Desenhei minhas próximas vinte e quatro horas em papel crepom, azul
Antes de sair, preciso terminar o meu café, olhar para o espelho e brindar, comigo mesmo essa nova página da minha história que é o milagre desse dia, que acaba de começar.

Sou mortal, sujeito a erros, graças a Deus
Sou repleto de sonhos e todos os dias cuido de regar cada um deles
Amo sem medidas, despejo bons sentimentos
Não me acostumo com negligência e sou avesso a ausências
Não partilho da intolerância e nem de fanatismos
Vou a luta, se preciso, por um amor
Me entrego imparcial ( ..talvez, seja esse o meu mal...)
Mas também sei voltar, quando o amor que receber não mais me bastar
Aprendi a escutar e entender o vão das palavras
E me proteger, de alguma forma, em territórios alheios
Posso sofrer, por vezes, de incoerência, mas nunca de inconsciência
Respeito alguns limites necessários, e extrapolo os válidos.
Não vivo apoiado em aparências
Mas sobrevivo, sem vacilar, e pretendo continuar erguido, mesmo durante as minhas impermanências.





Releve e Eleve-se.

Vida feliz é aquela vivida com amor, claridade, intensidade e desejo.

Já és parte integrante da camada mais profunda da minha derme..

Cada palavra sua exprime a essência do que vivemos,desse nosso encontro que virou página branca, pronta para desenhar.

Nessa caminhada de tropeços certeiros, encontros inexplicáveis
Surge, além da Verdade, que prevalece indiferente ao Tempo, o exercicio de agregar e transformar todo meu sofrimento em Aprendizado!
Que eu possa sempre, mesmo que inconscientemente, e com toda força do Bem, evitar ou apaziguar as minhas dores e dos que me cercam.

Provas de amor nem sempre são palpáveis
Elas acontecem em um tempo-espaço indiferente ao concreto
São esboçadas de uma forma súbita, despejadas
Nem sempre explicitas, elas nascem da necessidade de falar de algo que continua guardado, do sentimento que permanece e que mesmo sujeito a todas intempéries, variáveis e transformações, nunca deixou de me habitar.

Tempo que amarela as paredes, os tecidos, embaça as lembranças e neutraliza a dor;
Não vim pra falar de mansidão, não é a calma que me acomete nessa tarde oca;
Venho falar de tempestades que atravesso, das tormentas que me alcançam e me tiram da rota, e do leão que tenho que matar todos os dias;
Falo desse caminho lindo e ardúo que me foi reservado, dessa existência muitas vezes insana, que não veio com manual de instruções;
Falo também desse inicio de noite, onde eu gostaria que o mundo não passasse das fronteiras do meu edredon;
Essa minha vida-espetáculo, onde personagens principais querem ficar na coxia, onde o protagonista inúmeras vezes esquece o seu texto e não encontra ninguém para dar a sua deixa;
Palco-Vida, me mostre onde é a minha marcação, onde e como devo atuar nesses cenários que mudam e se alternam sempre que me movo em direção a algum canto;
Preciso de respostas, não me encham de perguntas, hoje tem coisas que eu prefiro nem saber...a insconsciência, nesse caso, é mais segura e me acolhe melhor.
Quero sim, uma fusão de almas, de corpos quentes e ansiosos pelo encontro, pela proximidade e pelo afeto...

Para sentimentos frágeis e embaraçados: Bons pensamentos!

Vai garoto, continue sua caminhada...
Comece retirando as pedras e em seu lugar ...coloque flores, são elas que vão lhe indicar o caminho de volta para você mesmo.
Enxugue todas as lágrimas que insistem em rolar no seu rosto e busque bem lá no fundo o seu verdadeiro EU.
Resgate, com afinco, aquele menino perdido pelo caminho, aquele de sorriso fácil e sonhos sem limites, que te ensinou a amar e a olhar para as pessoas e para o mundo com carinho. Agora é chegada a hora de buscar o descanso da alma, desatar todos os nós e trazer de volta a face um brilho que é só seu!
Não desista, menino, dos sonhos e das promessas de outrora...revire, remexa, procure, insista...eles estão todos guardados, dentro de você, e saiba que por direito, eles são seus!!

Hoje mandei a saudades passear, ir lá na esquina ver se estou por lá.
Alias, já deixei recado e mandei avisar: Tô saindo para Ser Feliz e demoro muito a voltar.
Fui surpreendido nessa noite por uma intensa liberdade e percebo que o vazio das ultimas horas me trouxe a rara e deliciosa sensação de quietude e paz.
Respiro por todos os meus poros esse doce privilégio e bebo em goles demorados essa visita inesperada da Alegria.

O maior intuito do Sol, quando docemente toca a Terra com seus raios, é lembrar, todos os dias que, além do nascimento e o milagre de mais um dia a ser vivido, existe uma folha em branco, pronta para ser preenchida com o que cada um optar escrever.

Bons pensamentos seguem misturados com as cores desse dia lindo!
Sou adepto de abraços demorados, sonhos realizados, amor incondicional, tardes de sol, alegria sem razão, brisa do mar, noites de luar.
Estou do lado de quem ama, de quem busca reacender todos os dias essa chama, de quem sorri para o mundo, de quem diz sim para vida e celebra o simples fato de ser exatamente quem se é.
Juntei uma noite alegre, recheei com gargalhadas e ótima companhia, acrescentei uma manhã calma, misturei isso tudo com um inicio de tarde tranquilo para, tirar do forno, daqui algumas horas, uma deliciosa noite de sabado, inteira, só pra mim.
Impossível ficar indiferente à beleza dessa manhã de domingo que, mesmo parcialmente nublada, já carrega toda a Luz de um dia muito iluminado!
Não me apego a respostas, são as minhas perguntas que me movem.
Em um mundo onde as pessoas mal se ouvem, onde a indiferença e a intolerância insistem em permanecer nas relações, me alegra e me causa um certo alívio saber que ainda existem pessoas que dão valor ao amor real, a entrega sem medo, a amizade sem reservas, que se interessam de verdade pelo problema alheio e diariamente, em respeito próprio e ao próximo, exercitam a prática do perdão e da compreensão, trazendo leveza e alegria a existência de quem os cercam.
Acordei e fui cuidar de secar as poças de água deixadas pela chuva de ontem. Percebi que dessa vez a forte enxurrada talvez tenha levado bem mais do que apenas as águas da chuva e alguns detritos. Sinto que essa chuva pode ter levado consigo, misturado, alguns belos sonhos, que eu já havia plantado e germinado e que, ansioso, aguardava a colheita.

Tarde fria, aquecida apenas pelo café recém coado
Palavras ditas, sentimentos expostos
Coração visto à olho nu, sangrando mais o normal
Busco meu eixo e me queixo com amigos
Releio livros, valores e amores
Viro páginas e noites
Reviro gavetas buscando fotos
Insisto em olhar para o portão
Me inclino e me convenço das minhas próprias verdades
Creio apenas no que me convém, nada além
Sintetizo nossa história, dobro, reduzo
Faço dela um doce resumo e presumo, que ela possa, de qualquer forma, continuar a me habitar.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011


Não aprendi a receber pouco, por favor não me venha com migalhas.

Tenho aprendido que, no que diz respeito à construção da minha Felicidade, eu mesmo devo cuidar de assentar os tijolos, todos os dias.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011


Gosto quando o cheiro doce das plantas passeia no ar, quase parado
Quando a noite cai, trazendo prenúncios de paz e quietude
Aprecio ver a cores, o escurecer, acompanhar todo processo
Nada ultimamente tem me feito mais feliz
Coisas minhas, tão clichês e tão simples assim
Tem dissolvido meus conflitos e deixado meu coração mais leve, pulsando no tremeluzir de alguma estrela perdida, na imensidão negra desse céu esparramado que traz, atrelado com a noite, mansidão e o término do ciclo natural do dia, que diga-se de passagem, o Universo cuidou de tudo para ser um dia muito iluminado.




Meu alicerce não foi erguido sobre o artificio da superficialidade.
Minha morada é no mais profundo das coisas.

Mas nem que o mundo caia, nem mesmo assim, eu desgrudo da barra da saia daquela menina (Porque só ela me fascina).

quarta-feira, 9 de novembro de 2011


Me despeço sem culpas das minhas malas carregadas de ressentimentos
Nada é mais prazeroso do que caminhar com as mãos livres.

O vento soprou e as folhas caídas vieram correndo em minha direção.
Senti a brisa no rosto e curiosamente fiquei alheio a todo caos que, irremediavelmente, me rodeia.
Me apressei em abrir as portas e janelas, para que o vento entrasse e levasse com ele tudo que, outrora, me fazia sentir menor.
Observei que as frentes frias, que insistentemente me habitavam, acabaram por cessar
O sol aqueceu, curou, completou e iluminou todo vazio.
Fui invadido, inesperadamente, por uma sutil tempestade que me trouxe, entre outras coisas boas, um tanto de serenidade.
Busquei o sol e o mantive aqui, só para me certificar que ele vai estar sempre aceso e brilhando, na órbita da minha felicidade.






terça-feira, 8 de novembro de 2011


Mudei a minha retórica, tirei da estante uma velha coragem e fui experimentar qual sabor tinha a palavra Vida.
Deixei de ser metódico, me desfiz de alguns castelos de areia, abandonei minha terra firme e fui buscar ser alguém que, até então, nunca tinha deixado vir a superfície.
Desfiz todos os laços, quebrei correntes, pulei os muros e os portões que sempre me impediram de enxergar com clareza quem realmente mora aqui dentro.
Me encontrei, para encontrar você.
Abri mão de tudo que me pesava, para lhe trazer apenas a minha leveza
Limpei todos os cantos da minha vida e perfumei a minha alma para a ocasião.
Deixei no gelo o melhor vinho e na vitrola, toca a nossa canção.
Te espero aqui essa noite para poder te contar, segurando na sua mão, um capitulo inteiro da nossa história, inédito, que acabo de escrever há pouco, mas já se encontra destacado, em negrito, no meu coração.




Lá fora existe tanto sol, tanta gente feliz, tanto movimento, tanto vai-vem, tantos ciclos, tantas fases, tantos inícios, tantos recomeços, inúmeros abraços e diversos sorrisos.
Sei que o oposto também existe e é verdadeiro, mas prefiro continuar acreditando que tudo vai dar certo, que vai vingar, que ainda vai dar pé.
Cuido em alimentar minha criança interior para que eu possa, diariamente, carregar comigo essa ingênua e genuína mania de acreditar sempre na Força do Bem.

O dia rompe e me convida para vive-lo
O Sol assume o seu posto e a vida na Terra começa a vibrar
Sou imensamente grato por ser regido por essa Força, por fazer parte desse Universo tão completo.
Me emociona ter a chance de começar um novo dia e mesmo que eu não faça, tenho a chance de nesse momento, fazer tudo diferente.
Me encanta receber todos os dias, desse Universo, do qual somos todos parte integrante, uma folha em branco, novinha, para que eu possa escrever mais uma página de uma história que, eu creio, só poderá ter um final bem feliz.
[Erick Tozzo]

segunda-feira, 7 de novembro de 2011


Confesso não saber quantas vezes terei que me reinventar, nem quantos longos caminhos ainda preciso percorrer, nem qual toque, nem qual a maneira certa e nem quais serão as palavras mais coerentes para usar. Realmente não sei.
Porém, tudo isso perde a importância, quando a certeza que carrego na mochila, é saber que meu rumo,sem desvios, sempre será o seu coração.

sábado, 5 de novembro de 2011



Aprendi a engolir a dor e seguir em frente, mesmo com todos os motivos para estacionar

Aprendi a me respeitar, inclusive quando os outros não fazem o mesmo comigo

Aprendi que confiança não se compra, que o Amor é gratuito e que nem tudo que reluz é ouro

Aprendi a ler nas entrelinhas e a ouvir a voz do meu coração, mesmo quando os fatos apontam o oposto

Aprendi a Amar com toda minha alma, mesmo tendo que assumir todos os riscos

Aprendi a cair, a levantar e o melhor, aprendi a me erguer mais forte após cada tombo.

Aprendi que palavras belas podem estar vazias de sentimentos e que todas as palavras não bastam quando o que quero expressar é impossivel verbalizar

Aprendi, acima de tudo, a olhar para mim com um Amor maior e jogar esse amor no Universo todos os dias para colher os melhores frutos, sempre!


Deixei de lado esse medo oco que me permeia há tempos
Tirei do meu caminho todo ócio, todo vício tosco e coloquei prazer nas minhas palavras
Parei de me culpar por tudo e passei a rir e a sorrir para todos
Desengavetei alguns antigos bons sentimentos, reparei que ainda me servem e resolvi vesti-los
Conduzi meu barco para outras correntezas, tenho necessidade de correr alguns riscos
Sou apático ao comodismo e adepto a transformações
Me canso fácil do que não me agrega
Tenho por hábito olhar para o céu, todos os dias
Se não me encaixo, me adapto.
Observei que com amor não se brinca, mesmo sendo, o próprio amor, uma grande brincadeira
Eu condeno pouco amor, pouco afeto, pouco afago
Falando de amor, prefiro sim, os excessos e os extremos
Não sei dar pouco, portanto, não me peça somente uma metade.
Só aprendi a ser assim, inteiro.










E nesse sábado de sol, pretendo cuidar apenas das minhas prioridades e correr, para me ocupar em ser feliz. [Erick Tozzo]

sexta-feira, 4 de novembro de 2011


Tantas palavras ainda faltam ser ditas
Foram tantos momentos únicos, só nossos
Tantas risadas, tanta loucura, tanta inspiração
Tanto afeto, tantos olhares que só por olhar, já molhavam o meu.
Ficam as musicas, as memórias, algumas lagrimas e uma grande amizade
Fica a essência de tudo que foi bom, de tudo que se foi sentido e que me fez, ser tão melhor, mesmo que por tão pouco tempo.




Entenda que meus inexatos silêncios, minhas breves pausas espaçadas e meus bocejos disfarçados indicam que. em alguns casos, o "para sempre', acaba terminando no final.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011


O meu silêncio é a ausência da ação para concretização de algo que já esta consumado. [Erick Tozzo]

Gosto quando o silêncio pincela os momentos e transforma todo movimento na mais perfeita paz.
Me agrada quando parece que o mundo pára, só pra minhas idéias se organizem e para que novas idéias possam brotar.
Respeito o silêncio.
Nele me habito, me refugio do caos externo e internamente construo o meu Templo.



Nossos territórios naturalmente criam fronteiras
Nossos caminhos se cruzam, mas não são os mesmos
Sua vida, sua dança, seu jeito vermelho de ser
Me encantam e me obrigam a estar ao seu lado, voluntariamente
Eu, com meu jeito verde, tento fazer parte do seu mundo
Adentrar perigosamente territórios alheios
Pensei e percebi que prefiro ficar
E deixar você vir, fazer parte do meu mundo
De chakras, mantras e longos textos escritos, em tarde e noites a fio
De chás, lençóis azuis, de flores coloridas do meu jardim e longos filmes
Pra você, alem disso, lhe reservo uma boa dose de amparo, litros de uma amizade sem fim, e te entrego o melhor que eu possa retirar de dentro de mim.



Espalhei seu nome pela casa em papel amarelo
Faz tempo, mas ainda sobram fragmentos
Eram pontos de amor escritos em recados adesivos
Reflexos do encontro proveniente de um sonho bom
Recados e encontros desse tipo não acontecem toda hora
São dignos de permanecer nas nossas vidas e acontecem com o intuito de tornar melhor a nossa história.




Nosso silêncio foi uma espécie de hiato, entre silabas que foram erroneamente separadas por um hífen, há tempos.
São caminhos cruzados pelo desejo de estar perto, mesmo que a proximidade nem sempre seja tão benéfica.
São perguntas entaladas e enlatadas, como sardinhas.
Foram momentos vividos por inteiro, nem que tenha sido por apenas uma das partes.
Uma experiência única, contraditória, mas não ilusória
Que brotou e tem como fruto
Um fugaz, desconexo e desajeitado jeito de se querer bem.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011


O que me define?
Talvez um verbo intransitivo, transitório
O avesso do verso
Não estou para grandes discursos, sempre me encontro nas pequenas frases
Moro nas palavras, deito e rolo em seus formatos
Condiciono, posiciono, costuro e alinho cada letra
Deixo para o outro o meu olhar exposto, mesmo sem rosto
Meu oficio tem sido desnudar as palavras, peça a peça
Para talvez, quem me dera, encontrar esse tal verbo que me caiba.








terça-feira, 1 de novembro de 2011


Sempre indaguei minha razão
Mas confesso, sigo guiado pela emoção
Menino nascido e criado para cuidar das coisas do coração
Aceito de bom grado, o mais doce legado
De amar, sempre, tudo e mais um punhado
Pois bem sei que o amor é matéria que não finda
Ele é exatamente o que nos completa, nos aproxima, nos iguala e nos alinha.