quinta-feira, 3 de novembro de 2011


Gosto quando o silêncio pincela os momentos e transforma todo movimento na mais perfeita paz.
Me agrada quando parece que o mundo pára, só pra minhas idéias se organizem e para que novas idéias possam brotar.
Respeito o silêncio.
Nele me habito, me refugio do caos externo e internamente construo o meu Templo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário