sábado, 12 de novembro de 2011


Mesmo a chuva permanecendo a noite toda
Logo que amanheceu, cuidei de secar toda água
De quebra, espalhei luz pelos cantos
E me apressei em inventar um sol, só para iluminar o meu dia
Desenhei minhas próximas vinte e quatro horas em papel crepom, azul
Antes de sair, preciso terminar o meu café, olhar para o espelho e brindar, comigo mesmo essa nova página da minha história que é o milagre desse dia, que acaba de começar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário