quinta-feira, 3 de novembro de 2011


Nossos territórios naturalmente criam fronteiras
Nossos caminhos se cruzam, mas não são os mesmos
Sua vida, sua dança, seu jeito vermelho de ser
Me encantam e me obrigam a estar ao seu lado, voluntariamente
Eu, com meu jeito verde, tento fazer parte do seu mundo
Adentrar perigosamente territórios alheios
Pensei e percebi que prefiro ficar
E deixar você vir, fazer parte do meu mundo
De chakras, mantras e longos textos escritos, em tarde e noites a fio
De chás, lençóis azuis, de flores coloridas do meu jardim e longos filmes
Pra você, alem disso, lhe reservo uma boa dose de amparo, litros de uma amizade sem fim, e te entrego o melhor que eu possa retirar de dentro de mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário