terça-feira, 1 de novembro de 2011


Sempre indaguei minha razão
Mas confesso, sigo guiado pela emoção
Menino nascido e criado para cuidar das coisas do coração
Aceito de bom grado, o mais doce legado
De amar, sempre, tudo e mais um punhado
Pois bem sei que o amor é matéria que não finda
Ele é exatamente o que nos completa, nos aproxima, nos iguala e nos alinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário