sábado, 12 de novembro de 2011


Tarde fria, aquecida apenas pelo café recém coado
Palavras ditas, sentimentos expostos
Coração visto à olho nu, sangrando mais o normal
Busco meu eixo e me queixo com amigos
Releio livros, valores e amores
Viro páginas e noites
Reviro gavetas buscando fotos
Insisto em olhar para o portão
Me inclino e me convenço das minhas próprias verdades
Creio apenas no que me convém, nada além
Sintetizo nossa história, dobro, reduzo
Faço dela um doce resumo e presumo, que ela possa, de qualquer forma, continuar a me habitar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário