terça-feira, 2 de outubro de 2012

Tenho aprendido que amar não deve doer, que sentimento não se cobra, que afeto é bem mais que demonstrações virtuais, muito mais que frases escritas em cartões. 
O amor que acredito nasce do respeito à individualidade, nasce da consciência que quando nos dispormos amar um outro alguém devemos ter a plena e madura ciência de que essa pessoa possui em seu conjunto, particularidades e necessidades e que ir contra isso flagela o que nos é verdadeiramente essencial, a nossa genuína essência, é também o que nos difere e torna-se nossa marca individual que deixamos "carimbado" no Universo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário